Entendendo o Processamento Auditivo Central (PAC)

O Processamento Auditivo é todo o caminho desde que o som entra na orelha externa, até o momento em que ele recebe significado no Córtex Cerebral. A dificuldade não está no quanto o paciente escuta, mas sim no que ele faz com som ouvido.

A principal queixa dos pacientes com déficit no Processamento Auditivo Central está relacionada à dificuldade no acompanhamento escolar ou ambientes de trabalho; porém ao investigar junto a família, notam-se outras características:

  • Há dificuldade para cumprir ordens com mais de uma informação
  • Solicitar com frequência que a pessoa repita o que foi dito: “O que?” “Hã?”
  • Há falhas de atenção e memória
  • Entende as ordens ou frases ao “pé da letra”, apresentando dificuldade para compreender piadas, provérbios, abstrações
  • Dificuldade de ouvir e prestar atenção em ambientes ruidosos (escola, restaurante, na rua etc.)
  • Dificuldade em acompanhar conversas muito longas ou com mais de uma pessoa falando ao mesmo tempo
  • Faz confusão quando recebe instruções orais
  • Demora para responder quando é solicitado
  • Dificuldade para ler e escrever
  • Dificuldade de organizar o discurso
  • Dificuldade em aprender uma segunda língua
  • Ao reproduzir músicas ou textos, há distorção na compreensão e/ou trocas por palavras de mesma sonoridade

A Desordem do Processamento Auditivo Central pode ser tratada por uma equipe multidisciplinar: Fonoaudiólogo especialista na área, que irá, por meio de estimulação auditiva, reabilitar as habilidades do processamento auditivo; psicopedagogo, atuando com as dificuldades de aprendizado, quando estas estão presentes; neurologista, que realizará o acompanhamento neurológico quando necessário.

Essa desordem tem tratamento e pode ser normalizada quando este tratamento é feito precocemente. Ele consiste em estimulação das habilidades auditivas (atenção auditiva, memória auditiva, figura-fundo auditiva etc.) necessárias para compreendermos uma mensagem. A criança pode acompanhar normalmente a escola e algumas adaptações podem ser realizadas, como colocá-la sentada no centro ou na frente em sala de aula.

Como é realizada a Avaliação

Na avaliação do Processamento Auditivo Central (PAC) são realizados diferentes testes para investigar diferentes habilidades auditivas. Os testes são selecionados de acordo com a queixa e idade do paciente. A avaliação dura aproximadamente 1 hora, mas pode haver a necessidade de realizá-la em duas sessões. É realizada em cabine acústica, com equipamentos e matérias específicos. Na Audimais, o exame é realizado por profissionais capacitados e com muita experiência na área.

Para realização da avaliação do PAC é necessário que o paciente tenha uma audiometria recente (máximo de 6 meses). Por isso, em muitos casos, antes da avaliação do PA realizamos a avaliação audiológica completa.

Os testes realizados buscam simular situações de escuta difícil, as quais exigem um bom desempenho das habilidades auditivas para que haja a compreensão. Em um dos testes, que avalia a habilidade de fechamento auditivo, por exemplo, são apresentadas palavras na presença de ruído e o indivíduo deve repeti-las. Em outro teste, que avalia a habilidade de ordenação temporal e transferência interhemisférica, são apresentados uma sequência de tons que variam de acordo com a frequência (agudo e grave) ou duração (curto e longo) e o indivíduo deve dizer qual foi a sequência ouvida.

Após a aplicação da bateria de testes o fonoaudiólogo irá analisar os resultados e em conjunto com as informações obtidas na entrevista irá definir o diagnóstico e a conduta. Essas informações são apresentadas em um relatório elaborado para o indivíduo ou responsáveis.

Na Audimais entregamos o exame pessoalmente fazendo uma devolutiva da avaliação, explicando os resultados ao indivíduo ou aos pais de maneira detalhada para que não fique dúvidas quanto ao diagnóstico e a conduta. Sempre ficamos à disposição para esclarecer dúvidas que os demais profissionais que atendem à criança ou escola possam apresentar.

A Função da Terapia

A Terapia do PAC promove mudanças no substrato neural do Sistema Nervoso Auditivo Central (SNAC), contando com a plasticidade cerebral do indivíduo.

Na terapia, a Fonoaudióloga, após mapear a dificuldade do paciente, organiza a reabilitação com exercícios verbais e não verbais, dentro e/ou fora da cabine acústica.

Os exercícios são realizados em consultório, pelo menos uma vez por semana, e cada sessão tem duração de 30 a 45 minutos.

São abordados os seguintes aspectos:

  • Trabalho com consciência fonológica, fechamento e figura-fundo auditivo
  • Refraseamento e repetição da informação
  • Criação de estratégias que envolvam transferências inter-hemisféricas de conteúdos não verbais em conteúdos verbais
  • Tarefas que envolvam reconhecimento e sequencialização temporal
  • Trabalho com atenção sustentada
  • Trabalho com memória operante e remota
  • Tarefas de nomeação, fluência e resgate verbal, expressões faciais, corporais e gestos

Quando abordados adequadamente, os indivíduos com este distúrbio conseguem recuperar o atraso e atuar com independência dentro dos parâmetros de normalidade.